HISTÓRIA DAS
LETRAS

A VIDA É UMA SINUCA - As dificuldades com que você enfrenta a vida são muito parecidas com as dificuldades com que você se depara ao praticar o esporte da sinuca. O maior exemplo é a expressão muito comum que o povo usa, quando está em uma situação difícil: "estou em sinuca de bico".

BOM DE SINUCA - É todo aquele que joga sinuca. Ninguém confessa que não joga nada de sinuca. Cada um acha que é melhor que o outro. Só ele é o bom.

"CÁ ENTRE NÓS" - O Rui Chapéu, no ano de 1984, estava no auge da sua carreira, quando foi participar de um torneio em Volta Redonda, no Estado do Rio de Janeiro, no Clube dos Funcionários, e naturalmente levou seus Amigos, para fazer uma fita de vídeo cassete dos seus jogos. Das partidas que abriam o torneio, havia uma entre JORGE DIAS x RUI CHAPÉU. A fita mostra a melhor de três com a vitória por 2 x 1, do JORGE DIAS. Cá entre nós, o Rui não podia ter perdido.

CARTEADO E SINUCA - Na minha vida de jogador de sinuca conheci muitos Amigos que guardavam uma afinidade com a MÚSICA e gostavam também do jogo de cartas, em diversas modalidades, principalmente o pôquer. Até aí tudo bem, mas jogar sinuca e cartas, gastando horas sem fim, passando a noite em claro, sem se alimentar, não era um comportamento elogiável. Pior era chegar em casa sem nenhuma moral e dinheiro, duro, sem tostão.

DISSESSE - Assim como eu, outros colegas que são também apaixonados pela sinuca, se disserem que estão bem com a modalidade : jogo da "vida", ninguém vai acreditar. É como comparar sinuca com bilhar (que não mais se pratica). Atualmente só há competições de bilhar três tabelas. O jogo de sinuca é muito mais bonito e demanda muito mais técnica do que o bilhar exige. Possui um visual que eu me atrevo dizer que parece um artista de TV, que não precisa "falar" nada, basta aparecer. Mas não fica só nessa beleza estética. Quando os jogadores acionam os seus tacos para dar as suas tacadas, o movimento das bolas, com o seu colorido todo especial, mexe com qualquer pessoa que esteja assistindo, diretamente ou pela TV. Competições internacionais têm sido exibidas na ESPN CANAL 60 da TVA.

EU NÃO VIVO SEM SINUCA - Há homens que não tiram a mulher da cabeça. Só pensam nelas. Assim sou eu com a sinuca; não vivo sem ela. A sinuca é minha vida, ou pelo menos parte dela. Ela nunca me atrapalhou, muito pelo contrário, me ajudou à vida conquistar. Quando a pratico, rejuvenesço, sinto-me uma criança.

HÁ OUTRAS COISAS - Apaixonado, todo mundo sabe que eu sou pela sinuca, entretanto, o homem não pode viver somente de uma paixão. Pelo que tenho ouvido de muitos Amigos, acredito possuir um bom astral e com ele eu consigo saber ouvir, e com isso transmito serenidade ao interlocutor(a), conquistando sua confiança. Graças a Deus, sempre estive bem de cuca e, conseqüentemente, não tenho uma paixão doentia da sinuca. Na vida, há outras coisas, além da sinuca, nas quais eu também penso.

MAIOR TACADA - Nas competições em que organizei, participei e assisti, em mais de vinte anos de atividade no esporte da sinuca, ninguém até hoje conseguiu fazer 112 pontos de tacada, com uma bola vermelha, e nas regras aprovadas pela Confederação Brasileira de Sinuca, baseadas na Carta de Ubatuba, que aparecem transcritas no livro do Jorge Dias. Nessa regra, se você tentar uma bola (que não é a da vez) e não encaçapar, perde sete pontos, independentemente do valor da bola tentada, mesmo que seja a bola três ou a seis, ou qualquer outra; perde sempre sete pontos, se errar. Com apenas quatro versos, mostrei como é possível dar a MAIOR TACADA. Começa com a sete, depois a bola vermelha, que tem o valor um e que é a da vez. Mata a bola sete (diz-se que é de "graça" após matar a da vez, pois se errar, nada perde), e em continuação da tacada, tenta pela segunda vez a bola sete. E assim por diante. Resumindo, temos: intercalada pelas bolas da vez (um, dois, três, quatro, cinco e seis); treze vezes a bola sete matei, e com ela (a bola sete) finalmente a partida liquidei. PODEM CONTAR.

MALANDRO DE SINUCA - No bom sentido, é claro. É aquele cara que é" metido " a matar, fechar, dar golpes, de todos ganhar, e acaba dando "partido" pra quem só sabe perder, conclusão é "malandro". O que falta pra ele é humildade para reconhecer que não joga nada, e que precisa tirar da cabeça que é o maior jogador e malandro em sinuca.

O ESPORTE DA SINUCA - Desde os torneios de sinuca, realizados pelo Clube de São Cristóvão Imperial, nos idos de 1970, que acabaram por entusiasmar os praticantes da sinuca no sentido de constituir uma Federação, que todos empenhados nos eventos clamavam pelo reconhecimento da sinuca como um esporte. Depois de alguns anos de luta da Federação do Rio, com as demais que ela ajudou a criar, precisamente no dia 29 de fevereiro de 1988, o Presidente do Conselho Nacional de Desportos, do Ministério da Educação, Sr. Manoel José Gomes Tubino, pela Resolução CND/Nº 07/88, reconheceu a SINUCA E O BILHAR como MODALIDADES DESPORTIVAS. Ao me ver sempre sorrindo, muita gente se sente feliz e sabe que o motivo é eu estar sempre jogando sinuca, e eu, disso, não faço segredo. Aos meus colegas do Ministério da Fazenda, Auditores Fiscais do Tesouro Nacional, como eu, (para muitos fui o professor de auditoria contábil-fiscal) costumo sempre alertar: jogar bilhar ou sinuca , não foi nem é ser vagabundo. VIVA O ESPORTE DA SINUCA!

O GAROTINHO BEBETO - Homenagem sincera a um jovem que sempre se mostrou um representante digno e com qualidades técnicas superiores para a prática do esporte da sinuca, realizando nas competições partidas memoráveis com os mais brilhantes contendores como: Roberto Carlos (de quem foi discípulo); Miguelzinho (que hoje é o primeiríssimo - rivalizando somente com o garoto Igor); Gabiais; Rui Chapéu; Carioca; Zinho; Jairzinho; Fantoche, e muitos outros. Fiz esse samba pensando no prazer, que sempre tive, em assistir às partidas realizadas pelo Bebeto, e que me fazem lembrar as incomparáveis melhor de nove partidas (foram duas) entre os meus dois Amigos (Pavilhão de São Cristóvão e Salão Nobre do Intercontinental Hotel - São Conrado - RJ) : LINCOLN (Lincoln Soares Pinto) e CARNE FRITA (Valfrido Rodrigues dos Santos). Nessas partidas só há um ganhador: o espectador.

“PATO” DE SINUCA - A filosofia, nesse caso, é a seguinte: para que o esperto sobreviva, é indispensável a existência do tolo. O tolo, nos confrontos, é aquele que se julga esperto, pois, do verdadeiro esperto, leva uma vantagem que o faz ficar rindo “por dentro” e intimamente pensando: apanhei um “pato”. O fato é que essa estória sempre existiu, e vai durar por toda vida.

QUEM É? - A letra desse samba mostra que há jogadores que se julgam o máximo. Só eles sabem matar e preparar, espetar e dar sinuca, fechar uma partida, matar a bola com efeito e, finalmente, somente eles são os campeões, não tem pra ninguém. As tacadas que eles dão são sempre as mais bonitas e dizem que os outros competidores não querem vê-los mais nas competições. Essa letra também fala de um tal Jorge Dias, que nunca ninguém ouviu falar, mas ele se diz malandro, que bate firme na bola, e os adversários ficam malucos pra saber com quem estão jogando, e aí, perguntam para o juiz e os espectadores: quem é esse cara que comigo está jogando? E a resposta é uma só: é o Jorge Dias, da sinuca, o malandro.

“RODÍZIO” x “VIDA” - No clube em que eu pratico o esporte da sinuca, há quatro mesas de sinuca no tamanho chamado oficial, que apresentam como área de jogo 1,42 m X 2,84m. Duas delas são da Tujague, modelo Majestic, adquiridas pelo Jorge Dias no bom tempo, por um preçinho bem baixinho mesmo, e vieram com dois jogos de bolas belgas. As duas outras, também Tujague, são de fabricação recente, mas não guardam o padrão de qualidade daquelas antigas, por isso mesmo não são usadas pelos melhores jogadores do clube. Repentinamente, alguém teve a “brilhante” idéia de “instituir” o que eles chamaram de “jogo de vida”, mas na realidade não é o tradicional jogo de vida que se conhece, e está publicado em alguns trabalhos, que tive oportunidade de ler. Basta dizer que, enquanto um jogador se mantiver com duas vidas, os outros, todos eles podem, se perderem as duas vidas, voltar ao jogo. O erro está na entrada (volta), pois na primeira paga R$ 10,00 e na Segunda paga R$ 20,00. No tradicional jogo de vida, o pagamento é pela ordem de entrada (volta): o primeiro paga R$ 10,00, o segundo R$ 20,00, o terceiro R$ 40,00, e assim por diante, sempre dobrando o valor. Apaixonado pelo jogo de sinuca não aceitei bem a nova idéia, pois em duas horas de “vida” você só joga uma partida. Convenhamos que é muito tempo pra você ficar esperando e assistindo aquelas irritantes tacadas de totó. Com duas horas de jogo de sinuca você pode jogar muitas partidas, praticando o verdadeiro esporte. A letra desse samba trata exatamente da comparação dessas duas modalidades.

SÓ UM PEDACINHO - O coração do homem é o lugar que a mulher ocupa. Algumas chegam a ocupá-lo completamente, não deixando nenhum espaço para outra mulher. Mas o coração do homem que joga sinuca e o da mulher com quem vive não podem estar completamente tomados pelo amor que os une. Precisam reservar nem que seja SÓ UM PEDACINHO, para a grande paixão: A SINUCA.


               

 Jorge Dias
 CD: Músicas do Jorge Dias
 Livro: Segredos e Memór. da Sinuca
 Adquira o Novo Livro
 Livro: Segredos... - Prefácio
 Livro: Contabilidade
 Livro: Contabilidade Sem...
 Livro: Declaração de Bens
 Livro: O Segredo do Lucro
 Musicas do Jorge Dias
 Ofertas: livros, CDs e Vídeos
 Sinuca: Esporte Oficial
 1º Campeonato Brasileiro: 1978
 Fantasias - Lincoln
 Pronunciamento do Jorge Dias
 Colunas do Jorge Dias
 Logomarca da FSBERJ
 Hino da FSBERJ
 Fotos e Imagens
 Primórdios
 Links
 Paulinho da Viola 01
 Paulinho da Viola 02
 Jorge Dias na FSBERJ
 E-mail