LETRAS DAS MÚSICAS DO CD


1. ESPORTE DA SINUCA - Muita gente, se sente feliz, em me ver sempre sorrindo - E não sabe o motivo da minha grande satisfação - Mas eu não faço segredo e vou dizer como vou indo - Fim de semana ao bilhar entrego o meu coração. - Entretanto, é preciso dizer pra todo mundo - Jogar bilhar não foi nem é ser vagabundo - BIS - Lá no clube, só gente fina vai jogar bilhar - É muito bom depois do trabalho refrescar  a cuca - Não há nada nesses momentos pra se comparar - Com uma partida, bem jogada, de sinuca.


2. “RODÍZIO” x “VIDA” - Uma estória lá do clube, vou agora lhes contar - Acabaram com  o “rodízio”, pra tal de “vida” implantar - Foi pra mim todos souberam, a grande decepção - Lamento, profundamente, era a minha distração. Ponho bem bola na boca, pra ver o parceiro “chorar” - E um beque na tacada, pra no jogo continuar - Eu não mato bolas fáceis, quero muita sensação - Quem quiser ganhar comigo , é só propor divisão  Os que usam de esperteza, não perdem por esperar - E pensam com toda certeza, da partida ganhar - Mas eu não fiquei de fora, entrei só pra atrapalhar - Desse jogo não vou mais embora, é muito difícil me ganhar. - Os malandros dessa “vida, todas bolas vão matando - “Cavalinho”, nem duvida, de tudo vão aprontando - Eu também me intrometi, para ver se atrapalho - Não sou homem de mentir - Pra ganhar de mim  , vão ter trabalho.


3. DISSESSE - Se eu dissesse pra vocês - Que estou bem com a “vida” - Naturalmente, ninguém iria acreditar - Pois para mim, a falta de sinuca, não é mais sentida - E no jogo da “vida” eu pretendo melhorar - A bola do parceiro, na boca, não vou mais escorregar - E o “cavalinho” de tudo farei pra evitar - Mas as tacadas que darei, vão ser pra “espetar” - Pra no final, a partida faturar - Eu digo isso, mas se puserem a minha na boca - Não vou reclamar - Se eu  perder duas vidas não vou mais voltar - Aguardarei com paciência, outra partida começar - E tentarei matar muitas bolas pra ganhar.


4. QUEM É? - Ela parou, bem no centro da caçapa do canto, eu a matei, preparando no meio a bola da vez, foi a tacada, mais feliz que eu fiz por encanto, corri pra galera  que queria ver a jogada outra vez - Eles não querem, me ver mais nessas competições , pois só desanima aqueles que pensam ser os campeões, mas eu não desisto de sempre mostrar tudo aquilo que sei, levantarei o troféu, pois campeão do torneio, todos sabem, eu serei. - Bato firme na bola, e em todo torneio não tem pra ninguém,eles não acreditam, mas quando me enfrentam perdem muito bem, perguntam pro juiz quem é esse cara que comigo está jogando, e a resposta é uma só: é o Jorge Dias,da sinuca, o malandro, vão falando - Derrotei taco forte, em todo torneio, por mais de uma vez, eles não acreditam, e nem desconfiam, com quem estão jogando, perguntam pro juiz, quem é esse cara, que de tudo já fez, e a resposta é uma só: é o Jorge Dias , da sinuca, o malandro, vão falando.


5. “PATO” DE SINUCA - Você diz que é muito bom, mas agora vou provar, vou lhe dar  vinte na dois, e todas partidas vou ganhar - Neste jogo de sinuca, muita prosa você tem, mas não ví até agora, você tomar grana de ninguém - Você vai dar a saída , vai ser uma só tacada, limparei tudo em seguida, provando que você não é de nada - Você diz que de sinuca, sai com toda perfeição, vou lhe dar uma de bico , pra deixá-lo  de taco na mão - Você diz que é malandro, mas malandro é meu gato, neste jogo de sinuca, você não passa de um “pato” - Você diz que de sinuca, sai com toda perfeição,vou lhe dar uma de bico, pra deixá-lo de taco na mão.


6. HÁ OUTRAS COISAS - A minha vida não é só jogar sinuca - Há outras coisas em que eu não paro de pensar - E pra vocês eu vou mostrar que estou bem de cuca - E a minha alegria nesses versos vou cantar - O meu astral é muito bom  não sou eu quem diz - E nesse esporte e noutros mais, disso só ouvi falar - Com o meu jeito, acredito, muita gente é feliz - E os meus sambinhas para sempre vou cantar - E vou cantando esse samba, que pra mim é tão gostoso,- Espero também, humildemente, que a todos possa agradar - Alguém dirá: eu nada faço, mas sou bem pretensioso - Não ligo pra isso , pois alguém vou alegrar.


7. A VIDA É UMA SINUCA - Viver a vida - Jogar sinuca - Quem é que pode - Em sã consciência separar- BIS - Eu vivo bem - Sinuca  não atrapalha - Faz muito bem - Para quem também trabalha - Pra  viver bem - Tem que saber defender - Habilidade pra dar sinuca e espetar - Passar giz no taco- Não se pode esquecer - Nesta vida não se pode fracassar.


8. BOM DE SINUCA - Ele diz que pode ganhar - De “barbada” todo mundo - Neste jogo só sabe falar - Jogador é vagabundo - Em todo torneio que entrou - Todos viram que não deu em bola - Agora ele nem hesitou no saco guardou sua viola - Esse cara falador - Jamais ganhou de ninguém - Nesse jogo é perdedor - É só prosa que ele tem - Metido a jogar muito bem - Nem efeito sabe dar - Nas puxadas não vai muito bem - O que faz melhor é “espirrar”.


9. CARTEADO E SINUCA - Vim de um “batente” pesado - Estou com meu corpo molhado - Estou cansado pra “dedéu”- Vou dizer a minha mulher - Sem paletó sem chapéu - Dói-me tudo até a nuca - Na verdade estou chegando - De um carteado e sinuca - E tudo que eu tinha perdi - Entreguei pra um malandro - Mas minha santa mulher - Com seu jeito tão dengoso - Sem mostrar que está por dentro - Me faz um carinho gostoso - Pergunta se eu jantei - Prepara uma sopa bem quente - Tanto que encabulei - Com ela eu sou mais gente.


10. GAROTINHO BEBETO - Porque não fazer, outro samba minha gente - Se é o que a gente sente, de quem nos traz alegria - O Rui chapéu, com equilíbrio e destreza - Vai  fazendo nessa mesa, aquilo que se quer ver - Roberto Carlos, lembra muito o “carne  frita” - É a nova sensação, joga bem e não faz fita - E vem chegando, o garotinho Bebeto - Que é cria do Roberto, com as bolas é o tal - E vem chegando, quem  também, é “sonrisal”, - O garotinho Bebeto, com as bolas é o tal - Porque não fazer.


11. SÓ UM PEDACINHO - Eu sei que há outros prazeres na vida - Mas com a sinuca, não se pode comparar - Em todo coração, há sempre uma querida - Mas num pedacinho dele, a sinuca tem que entrar - Ela nos faz viver com emoção - Não pode ficar sem lugar pra se instalar - Por mais ocupado, que esteja o coração - Há sempre um pedacinho nele, pra nossa vida alegrar.


12. NÃO VIVO SEM SINUCA - Eu não vivo sem jogar uma sinuca - Já faz parte de mim,não há como negar - Já deixei muita gente bem maluca - Mas esse esporte, eu não posso abandonar - Parceiros fortes, nessa vida enfrentei - Que para mim, é o pano   verde da esperança - Agindo assim, a minha vida conquistei - E vou jogando, me sentindo bem criança - Eu não vivo sem jogar.


13. MAIOR TACADA (112 PONTOS) - O adversário, com a tacada inicial - Saiu mal,a bola sete deixando - Comecei, minha jogada, e fui fechando - Sem errar, uma só vez ,até o final - Intercalada, pelas bolas da vez - Um, dois, três, quatro, cinco e seis, - Treze vezes, a bola sete matei, - E com ela a partida liquidei - Podem contar.


14. “CÁ ENTRE NÓS”- O Rui chapéu ganha do “carne frita” - Joga com Steve Davis - E perde pro Jorge Dias - Vejam só, é uma coisa maluca - Já não se pode entender - Esse jogo de sinuca - Antigamente, o Lincoln é que era o bom - E não tinha essa não de perder pra qualquer um - Somente o “frita” para ele era parada - Hoje, não joga mais nada - Tendo em vista o que já foi - Porisso mesmo,é preciso o estrangeiro - Vir“brigar” com o brasileiro - No pano verde da vida - Mas entre nós, o campeão é o Rui - Como diz o “carne frita” - Ele é hoje o que eu já fui.


15. “MALANDRO DE SINUCA” - Perdão, por provocar em você tamanha tristeza - Chorar, ai! Chorar, de você, meu amor, tira toda beleza - Mas me aborrece saber que tens  razão, por eu trocar todo dia, meu lar por aquele salão - Pior a moral que recebo ao  chegar em casa sem tostão - Ai! Perdão - Metido a “matar”, “fechar”, dar “golpes” de todos ganhar - Dar partido à “otário“ de quem só sabe perder - Tirar uma coisa de há muito da cuca - Que é o maior jogador e malandro em sinuca. Ai! Perdão.


À CAROLINA

Samba de Jorge Dias Teixeira - Letra de Machado de Assis

Querida, ao pé do leito derradeiro,
Em que descansas dessa longa vida,
Aqui venho e virei, pobre querida,
Trazer-te o coração de companheiro.

Pulsa-lhe aquele afeto verdadeiro,
Que, a despeito de toda a humana lida,
Fez a nossa existência apetecida
E num recanto pôs um mundo inteiro.

Trago-te flores, restos arrancados.
Da terra que nos viu passar unidos
E ora mortos nos deixa e separados
Que eu, se tenho nos olhos malferidos
Pensamentos de vida formulados,
São pensamentos idos e vividos.

 
 
 
 
 

 

               

 Jorge Dias
 CD: Músicas do Jorge Dias
 Livro: Segredos e Memór. da Sinuca
 Adquira o Novo Livro
 Livro: Segredos... - Prefácio
 Livro: Contabilidade
 Livro: Contabilidade Sem...
 Livro: Declaração de Bens
 Livro: O Segredo do Lucro
 Musicas do Jorge Dias
 Ofertas: livros, CDs e Vídeos
 Sinuca: Esporte Oficial
 1º Campeonato Brasileiro: 1978
 Fantasias - Lincoln
 Pronunciamento do Jorge Dias
 Colunas do Jorge Dias
 Logomarca da FSBERJ
 Hino da FSBERJ
 Fotos e Imagens
 Primórdios
 Links
 Paulinho da Viola 01
 Paulinho da Viola 02
 Jorge Dias na FSBERJ
 E-mail